Foto: Câmara Municipal de Cabo Frio/Divulgação

Câmara de Cabo Frio instaura CPI para investigar exonerações e recontratações

A Câmara de Cabo Frio aprovou por unanimidade, na sessão legislativa desta terça-feira (15), a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para apurar as contratações e exonerações de servidores em época eleitoral, por parte do Executivo Municipal. A CPI também vai investigar as tentativas da atual administração de implantar as Organizações Sociais (OSs), em Cabo Frio, na terceirização da folha de pagamento.

A pauta foi aprovada por todos os vereadores, sendo que 11 dos 17 assinaram o requerimento. Foram eles: Letícia Jotta, Rafael Peçanha, Vanderlei Bento, Alexandra Codeço, Vinícius Corrêa, Edilan do Celular, Guilherme Moreira, Vaguinho Simão e Rodolfo Machado.

Na sessão desta terça, o presidente da Câmara, vereador Luís Geraldo, destacou que a lei proíbe o governo de contratar e demitir funcionários em ano eleitoral a partir de data estabelecida.

“Isso serve para garantir isonomia na eleição, tirando do grupo que tem a máquina pública, a oportunidade de usar os empregos como moeda de troca. Porém, há uma exceção que são os cargos em comissão.”

Após a aprovação em plenário, o presidente da Câmara vai publicar, nos próximos dias, uma portaria que indicará o número de integrantes que vão compor a CPI. O prazo de vigência da comissão será de 90 dias podendo ser prorrogado pelo mesmo período, por mais uma vez.

A CPI terá sete componentes, respeitando a paridade partidária. A indicação dos vereadores que estarão na comissão é feita pelo presidente do Legislativo. Uma vez constituída a CPI escolherá o presidente, o vice e o relator.

Verifique também

Projeto de combate a fake news deve ser votado este ano, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (8) que o projeto que trata …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *