Foto: Jornal O Globo

Ex-deputado Estadual Paulo Mello é preso pela Lava Jato do Rio

 

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira (14), o ex-deputado estadual Paulo Melo,o empresário Mário Peixoto e outras duas pessoas. As prisões fazem parte de mais uma etapa da Lava Jato.  Peixoto e Paulo Melo foram presos na Operação Favorito, segundo as investigações, porque surgiram indícios de fraude nas compras para os hospitais de campanha da Covid-19.

De acordo com o jornal Extra, a organização criminosa desviou R$ 3,9 milhões dos cofres públicos em compras superfaturadas na área de saúde. o empresário Mário Peixoto, foi preso em Angra dos Reis, na Costa Verde. Ele é dono de empresas que têm contratos com as gestões de Sérgio Cabral e Wilson Witzel e também é fornecedor do governo federal.

A PF afirma que o grupo pagou vantagens indevidas a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), deputados estaduais e outros agentes públicos. Segundo a PF, o nome da operação tem relação com o tempo de relacionamento de Peixoto com a administração pública — “ou seja, pelo menos 10 anos sendo o ‘favorito'”. Os mandados, incluindo 42 de busca e apreensão, foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do RJ, “em razão dos indícios da prática dos crimes de lavagem de capital, organização criminosa, corrupção, peculato e evasão de divisas”. Equipes também estão em endereços em Minas Gerais. Paulo Mello, que é ex-presidente da Alerj, já tinha sido preso em uma etapa anterior da força-tarefa. Em março do ano passado, Paulo Melo foi condenado a 12 anos e 10 meses de prisão por corrupção passiva e organização criminosa. Ele ficou preso até março deste ano, quando deixou a cadeia para cumprir prisão domiciliar.

 

Fontes: G1 Rio e Jornal Extra

Verifique também

Alerj aprova projeto que determina destino do dinheiro recuperado da corrupção durante a pandemia

Os valores referentes aos produtos e proveitos de crimes praticados por agentes públicos nas ações …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *